Mais Acessados

Negra Japa, da La Fúria, revela detalhes da sua recuperação e fala de retorno aos palcos

 Por: Tiago Di Araujo
Foram cinco dias internada após ter sido esfaqueada no último dia 16 de abril. E, a alta médica de Elizabeth Gonçalves, conhecida como Negra Japa, a backdance da banda La Fúria, veio no dia 21 de abril, em plena Páscoa, data do renascimento de Jesus, vista como um milagre pela jovem de 24 anos. "Para você ver que tudo foi um milagre, que minha alta foi na ressurreição de Cristo".
Em recuperação, afastada dos palcos por recomendação médica, a dançarina conversou exclusivamente com a reportagem do BNews. Ainda traumatizada com o ocorrido, medindo as palavras e sem querer de fato lembrar diretamente do ataque sofrido, Japa revelou detalhes da lesão que teve, um corte com profundidade de 15cm e que afetou seu pulmão, e como está sendo o período de reabilitação.
Sua versão sobre o caso, ela deu no dia que recebeu alta, através do seu perfil oficial do Instagram, onde tem mais de 315 mil seguidores. Ao BNews, optou por falar do carinho que tem recebido dos fãs, dos projetos futuros, do apoio da banda, em destaque do "patrone", como chama Jorge Sacramento, o Sacra.
A surpresa ficou por conta da revelação sobre sua relação com Quessy Santos, conhecida como 'Braba', que recentemente entrou na banda, já que elas chegaram a ser apontadas como rivais. Por fim, a soteropolitana, que passou sua infância no interior baiano de Caldas de Cipó, garantiu que em breve estará de volta, mas quer primeiramente anunciar aos fãs o grande dia. "Eu vou voltar com tudo, com sede e espero que seja logo".
Confira a entrevista completa abaixo:
BNews: Qual foi realmente a lesão? O que afetou?
Negra Japa:
 Primeiramente, quero dizer que estou bem, graças a Deus. A lesão que eu tive foram duas facadas quando eu estava dormindo. A primeira eu levei quando estava deitada, foi essa que perfurou meu pulmão, teve 15cm de profundidade, e a segunda foi mais superficial, não foi tão profundo quanto a primeira. Foi um grande susto, está sendo complicado até hoje pela questão das lesões e das coisas que estão acontecendo após o ocorrido.
BNews: O susto foi grande. Como foi para sua família e seus amigos?
Negra Japa:
 Para minha família foi muito difícil, para todos ao meu redor, para fãs e amigos, porque foi algo que atingiu a todos. Não foi algo que atingiu só o meu físico e meu psicológico, mas também o psicológico de minha família, que teve muito estresse, muita angústia, pois foi um momento muito angustiante para mim e todos ao meu redor, até pelo estado que cheguei no hospital. Foi um milagre de Deus. Eu não era nem para estar aqui viva ainda, contando e fazendo essa entrevista.
BNews:  Você recebeu muito carinho nas redes sociais. Isso de alguma forma lhe ajudou ou tem lhe ajudado?
Negra Japa: 
Isso me afetou fisicamente e psicologicamente. Mas, tendo apoio dos meus fãs, da minha família, de todos, inclusive o carinho nas redes sociais, foi e está sendo fundamental para minha recuperação, não só física, mas como psicológica.
BNews: Esse é um momento bem difícil para você e mesmo assim você tem recebido algumas críticas. Como você tem convivido com isso?
Negra Japa:
 Esse momento também está sendo complicado e difícil, pelo fato de as pessoas saberem a verdade e eu ter provado a verdade, com prints, conversas, e até mesmo se eu não provasse, o que vale é a palavra e você estar com a consciência limpa dos fatos reais. Mas, as pessoas, mesmo sabendo e mesmo vendo, elas em si, talvez por problemas pessoais, criticam, o que é natural do ser humano apontar o dedo, mesmo não tendo razões e motivos para isso. No entanto, acho que ninguém tem o direito e não acho que ninguém deve apontar os erros de ninguém.
BNews:  Como está sendo a recuperação, a cicatrização?
Negra Japa: 
Não está sendo fácil. Porém, eu aprendi e vi que o melhor para mim é não dar ouvido para essas pessoas que estão criando fakes para me dizer coisas, para me ameaçar, inclusive estava recebendo muitas ameaças, recebendo críticas, muita gente falando merda, até hoje, porque as pessoas têm mania de falar merda, de criticar, e pessoas que passaram e passam pela mesma coisa, pessoas que não são exemplos, mas que são as primeiras a criticar. E depois de ter visto isso, críticas de pessoas que cometeram o mesmo ato, até mesmo sabendo, pois eu não sabia, e a pessoa que eu estava afirmou e me provou que eles tinham se separado, mas ela não deixava ele em paz, o que não é motivo para tirar a vida de ninguém.
BNews: Qual é a recomendação médica nesse momento?
Negra Japa:
 Minha recuperação, graças a Deus, os médicos falaram que eu fui guerreira, que desde o momento que aconteceu, a hora, como aconteceu, as horas que demorei para receber socorro e tudo mais, eu fui uma guerreira, e desde lá foi um milagre, tudo foi um milagre, a cirurgia, não precisei tomar bomba de sangue e nem precisei fazer outros procedimentos que seriam necessários para outra pessoa. Foi cirurgia rápida e em cinco dias eu já tinha saído do hospital. Eu tive alta na Páscoa. Para você ver que tudo foi um milagre, que minha alta foi na ressureição de Cristo. Então, está sendo muito rápida, graças a Deus. E os médicos falaram que eu teria que ter repouso total, não fazer esforço nenhum, não pegar peso, não dançar, tomar remédio por 21 dias. Eu até já parei de tomar o remédio, só estou esperando o corpo, por si só, cicatrizar e eu concluir minha recuperação, apesar que não estou seguindo muito não, mas estou tentando ao máximo me controlar, pois quem dança já é costume em qualquer “barulhinho” a gente já está se mexendo.
BNews:  Recentemente, você confirmou que continuaria na banda La Fúria. Como foi o apoio do grupo?
Negra Japa
: Confirmo minha permanência na banda. Tive o apoio total dos integrantes, que vieram diretamente, tanto músicos quanto produção, o próprio Sacra, meu ‘patrone’, que chamo ele de ‘patrone’, e devo muitas coisas a ele sim. Ele é um grande pai, ele apoia muito, me deu um super apoio, coisa que eu não esperava, até pelo que os outros falam, tipo “Sacramento é um homem que não gosta de polêmica”, mas ele é pai, é amigo, e ele foi comigo. Está me dando assistência total. Eu estou recebendo como se eu estivesse fazendo show. Estou tendo o carinho, não só da Sacra Produções, mas também da empresa Penta Produções, que é uma empresa que eu respeito e tem que ser respeitada.
BNews: Houve em algum momento o risco de você deixar a banda?
Negra Japa:
 Houve um momento de risco de eu sair da banda sim, até pela questão da polêmica geral. Porém, eu estava e estou na minha razão. Eu não menti e não omiti nada para o meu patrão. Fui super sincera no que aconteceu. Infelizmente saiu o primeiro boato que foi um assalto, mas não foi eu que falei. No momento que tive de conversar com meu patrão, eu conversei com ele. E na verdade, estar em banda é correr risco de sair o tempo todo, por encontrar coisas melhores, de ser substituída. O risco já existe de você estar na banda.
BNews:  E a pergunta que seus fãs querem saber. Quando você volta? Já tem data ou pelo menos uma previsão?
Negra Japa:
 Vamos esperar uns 15 dias mais aí, estamos organizando tudo aí, estou tendo apoio total da produção, sempre me perguntam como estou, como está sendo minha recuperação, só que eu preciso passar por uma revisão médica, e a partir daí que eu vou ter certeza que estou pronta para voltar aos palcos. Em breve, vamos botar aí, uns 15 dias ou menos, até eu fazer essa revisão, e aí todos vão saber porque gosto de manter meus fãs informados. Eu vou voltar com tudo, com sede e espero que seja logo.
BNews: Falando do grupo, como você iniciou a carreira? Como chegou até a La Fúria?
Negra Japa: 
Eu era da banda ‘A Invasão’, eu sou a primeira backdance da banda e depois que eu saí, o cantor publicou minha saída antes mesmo de eu publicar. Com isso, Bruno (Magnata) viu, o pessoal da Sacra Produções também viu que eu tinha saído. Então, Bruno me perguntou se eu queria fazer parte da banda. E não só ele, eu recebi várias propostas, de bandas até que nunca tinham colocado backdance e queria colocar. Porém, de todas as bandas que me chamaram, a La Fúria tinha agenda completa, produtora fixa, e sem sombra de dúvida eu não negaria. Estou dois anos na banda.
BNews:  Como é sua relação com as outras meninas?
Negra Japa
: É sempre bom você conhecer novos talentos, outras pessoas que já passaram por outras bandas, é conhecimento. Quando você conhece outras pessoas da sua área, você aprende. Então, como eu gosto muito de aprender, com elas, todas elas, estou aprendendo. Está sendo uma relação muito boa, ótima. Gosto de todas e me dou muito bem com todas, não tenho o que falar, e todas se dão muito bem comigo.
BNews: E como foi “dividir” os holofotes com a Braba? Vocês já se conheciam?
Negra Japa: Em especial com a ‘Braba’, porque muitos criaram um ‘rixa’ e querendo ou não, nós duas, nos deixamos levar por isso, pela questão do povo criar esse conflito, dos próprios fãs criarem esse conflito de quem é melhor, criou uma certa rivalidade, que na verdade nunca existiu, até porque nunca tivemos uma briga direto, nunca tivemos uma discussão, nunca tivemos motivo para isso. Essa ‘rixa’ foi os fãs, o público que criou. Das integrantes do balé, foi a única que foi me ver, a única que se fez presente em tudo, em questão de alimentação, em questão de transporte até para os meus familiares. Ela foi a que mais se mostrou presente de todos os integrantes da banda, foi a que mais me apoiou, a que mais se fez presente. E graças a Deus, que Deus nos mostra as pessoas e é nesses momentos que a gente tem que aprender a dar valor às pessoas, que realmente merecem valor, que merecem nosso apoio e nosso amor. Ela mostrou ser uma pessoa espetacular. Eu já estava querendo me aproximar ao máximo dela, porque nós duas somos foda, nosso público é foda, então, a união das duas só faz fortalecer as duas. Com isso, eu já estava querendo essa aproximação por essa questão e depois dela ter provado ser uma boa amiga, uma boa companheira, uma pessoa que você pode contar em todos os momentos, aí ela me ganhou por completo.
BNews:  Você é backdance. Já pensou em ter um projeto seu, para cantar pagode, por exemplo?
Negra Japa: Já recebi propostas. Inclusive, durante a recuperação, de repouso, fora dos palcos, por causa dos boatos tão grandes de eu estar de saída da La Fúria, eu recebi muitas propostas, de muitos produtores, gente até com projeto feito para mim, de eu chegar e cantar. Eu tenho medo. Porque você chegar e botar a cara em um projeto você tem que ter muita responsabilidade, entender que vai ter altos e baixos, entender que pode não vingar, além de que, o que eu faço, eu gosto. Mas, se for para sair de backdance para cantar, para ter um projeto meu, porque não? Se tem gente acreditando em mim, além de mim mesma, porque eu não posso colocar mais fé em meu potencial, se tem gente de fora querendo isso. Então, eu apostaria em um projeto meu sim.
BNews:  Além da banda, você é um estouro nas redes sociais. Isso tem rendido bons frutos para você? Como é sua relação com as redes sociais? É viciada mesmo ou é de boa?
Negra Japa: O retorno que tenho com minhas redes sociais é surreal, muito legal, muito importante. É através das redes sociais que muitas pessoas conhecem o meu trabalho e está tomando uma proporção sem explicação. E quanto mais o tempo passa, mais gente me conhece, mais agrega. Eu sou viciada em redes sociais. Quero divulgar meu canal no YouTube. Meu foco vai ser divulgar meu canal, porque eu quero aproveitar ao máximo das minhas redes sociais para fortalecer o meu trabalho, pois caso, eu tenha uma carreira solo, eu fortalecer isso também.
BNews:  Para finalizar, nessa sua trajetória, desde que se tornou conhecida, você se arrepende de algo? Faria algo diferente?
Negra Japa: Não. Eu não faria nada diferente, pois se eu fizesse diferente, eu não iria aprender. É com os erros que a gente aprende. Pois ser artista é complicado, você aprende com o tempo, não é de um dia para o outro. Então, cada dia é importante, cada erro também foi importante. Por isso, não faria nada diferente e muito menos me arrependo porque tudo fez parte do meu crescimento pessoal e profissional.
Noticia Por Bocão News 

Comentários
Luis Pagodão.Net - Todos os Direitos Reservados. "Tudo é do Pai"